fbpx
Agende sua consulta: (17) 3232-1544 | 99153-9837

Como a gordura corporal afeta a fertilidade homens e mulheres

Como a gordura corporal afeta a fertilidade homens e mulheres

A gordura corporal se acumula de maneira diferente nos corpos dos homens e das mulheres. Um novo estudo explora as consequências para a saúde decorrentes dessas diferenças. Um estudo recente examinou o papel do hormônio feminino estrogênio no acúmulo de gordura, bem como as conseqüências para a saúde do excesso de peso em roedores machos versus fêmeas. Como os autores do estudo explicam, estudos anteriores sugeriram que as mulheres tendem a ser magras quando são jovens, mas ganham peso após a menopausa porque o estrogênio ajuda a manter o peso excessivo sob controle. Os ovários são a principal fonte de estradiol, que é uma forma de estrogênio, em mulheres na pré-menopausa. Assim, Coss e sua equipe queriam testar o papel protetor do estrogênio produzido por ovário, removendo os ovários em roedores fêmeas.

Eles descobriram que os ratos continuam a ganhar peso quando alimentados com uma dieta rica em gordura, sugerindo que os hormônios ovarianos são realmente protetores contra o ganho de peso. Eles também descobriram que esses camundongos fêmeas não exibem nem neuroinflamação, nem alterações nos hormônios reprodutivos, sugerindo que eles são protegidos por outros fatores que não o estrogênio ovariano. Camundongos em uma dieta rica em gordura desenvolvem síndrome metabólica – uma constelação de patologias que inclui diabetes tipo 2 e insensibilidade à insulina – de forma semelhante aos seres humanos obesos. Homens obesos têm níveis mais baixos de testosterona, contribuindo para a baixa libido, baixa energia e redução da força muscular. Camundongos obesos do sexo masculino apresentaram redução de quase 50% no número de testosterona e espermatozóides. Mulheres obesas têm dificuldade com seus ciclos menstruais. Elas não ovulam. Ratos fêmeas obesos mostram o mesmo, contribuindo para a diminuição da fertilidade.

No entanto, a pesquisa também sugere que as mulheres estão mais protegidas contra os efeitos nocivos do excesso de peso, um fenômeno que pode ter muito a ver com a forma do corpo das mulheres e sua distribuição de gordura corporal. Os resultados concordam que os machos possuem maiores depósitos de gordura visceral. Além disso, os resultados parecem confirmar que as mulheres na pré-menopausa tendem a depositar gordura subcutaneamente ou sob a pele. A gordura visceral ou abdominal pode atingir e afetar órgãos internos. Estudos anteriores mostraram que a neuroinflamação é um efeito colateral da obesidade, mas este estudo descobriu especificamente que em camundongos machos, macrófagos – que são um grande tipo de célula imune – penetraram na barreira hematoencefálica e chegaram ao cérebro.

Referência:
Lainez, N. M. ET al. Diet-Induced Obesity Elicits Macrophage Infiltration and Reduction in Spine Density in the Hypothalami of Male but Not Female Mice. Front. Immunol., 11 September 2018.

Por Joyce Rouvier
Portal Terra

Fechar Menu
WhatsApp chat